segunda-feira, 23 de março de 2009

Descoberta Fantástica

Hoje, pensando enquanto eu fumava (é, minha pausa para fumar é também minha 'pausa para pensar' eu entendi uma coisa e cheguei a uma conclusão sobre mim:

"Existe uma enorma diferença entre uma pessoa querer te fazer feliz pelo simples desejo de ver você feliz e uma pessoa querer te fazer feliz para não te perder."

A primeira opção é sublime, sincera, pura e desinteresseira. A segunda vem da simples necessidade de ter você. Vem do medo, da precisão de ter você. É algo como 'precisar' te fazer feliz, quase como uma obrigação.

Nas duas opções, o resultado pode ser o mesmo. Mas as intenções são absurdamentes diferentes. E eu valorizo MUITO, MUITO mais a intenção que o resultado.

Só para constar.

...

3 comentários:

Leonardo disse...

Hola,

Aqui nesse link gigantesco(http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=12909199&tid=2463598156584219246&na=4&nst=126&nid=12909199-2463598156584219246-5277016541968691422)tem a discografia completa da Graforréia (a propósito, amigo punk tá no "Coisa de Louco II").

Nessa mesma comunidade tu acha coisas do Nei Lisboa também, inclusive o disco Cena Beatnik.

abs!

P.s: Deu sorte deu olhar o blog hoje, porque ele está em "reformas" e fazia algumas semanas que não visitava ele.

Cary disse...

eu concordo plenamente com vc...mas nunca tinha parado pra pensar nisso...é a mais pura verdade, e claro, a intenção vale muuuito! xD
beeeijo

Dellirium disse...

É assim mesmo. Será que no segundo caso o fato de não querer perder a pessoa é pra não ter que dar satisfação pros outros de como não foi possível fazer alguém feliz?

Enfim, viajei! Huahauahua

By Gisa