sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Desabafos - 1

Faz tempo que eu tenho vontade de escrever sobre coisas que aconteceram em minha vida aqui no blog, mas sempre deixo pra depois. No começo nao escrevia por medo, depois porque ainda era muito recente e as lembranças me faziam mal, depois porque eu ainda sentia rancor e nao queria alimentar esse bad boy dentro de mim, enfim... Depois eu comecei a ficar meio neurotica, com vontade de escrever mas achando que meus queridos, idolatrados, salve, salve leitores iam ficar achando que era tudo invençao. Sabe, aquela coisa da anorexia, a historia do policial... tudo isso e mais todo o resto que eu ainda nao contei podem parecer desgraça demais para uma pessoa sò e pode atè ficar dificil de acreditar. E depois nao queria deixar o clima aqui pesado, sabe, cheio de historias ruins e melancolicas.

Mas hoje eu consigo ver tudo que passei com outros olhos. Nao tenho mais rancor, nao tenho medo e sinto vontade de falar. Acho que isso è algo bom porque finalmente consigo olhar pra minha vida e tirar liçoes de tudo que passei. Consigo olhar pra tràs e pensar "Eu sobrevivi, eu renasci, eu me esforcei e hoje sou o que sou." 

Em minhas crises existenciais me culpo por ter me tornado uma pessoa diferente, uma pessoa que às vezes nao gosto tanto. Mas isso vem acontecendo cada vez menos e na maior parte do tempo me sinto orgulhosa de ter superado TUDO que superei. E de chegar hoje aqui, sem raiva, sem òdio, sem rancor, sem magoas, sò com a vergonha. Entao acho que depois de ter superado tudo que superei, realmente acho que MEREçO o direito de contar minha historia, mesmo que voces nao gostem, mesmo que voces nao acreditem, mesmo que voces fiquem pensando que fico me fazendo de vitma. To nem aì ò, gosto muito de voces, mas - narcisismo a parte rsrsrs - acho realmente que tenho o direito de contar minhas historias.

Escolhas erradas, decisoes erradas, pessoas que me ferraram, pessoas que fizeram de tudo pra me derrubar, pessoas que amei e bolhas em que vivi. Coisas que pouca gente sabe, coisas que ninguem sabe. Coisas que quero por pra fora, igual às coisas que voces jà sabem. Nao sei de onde vem essa vontade de falar, talvez voces pensem que seja carencia - mas nao è-, talvez seja vontade de que alguem me compreenda, talvez seja vontade de agredir de uma forma leve quem me fez mal, nao sei. Mas acho que vai me fazer bem falar e entao vou falar.

Esse post è... sei là, um aviso? Um pedido de desculpa pelo teor das coisas que irei postar? Um pedido desesperado para que voces nao pensem "coitadinha"? 

Nao sei... talvez no fundo esse primeiro post seja sò um pedido de autorizaçao para os fantasmas dos quais eu quero me libertar.... Nao que eles me façam mal... Mas è hora de seguirmos caminhos diferentes... è o momento em que eu tenho que superar o ultimo obstaculo fino à minha libertaçao total; è o momento de superar a unica coisa que ainda me dà medo: a VERGONHA.

: )

.................
Atualizaçao em 2013: Eu estava errada.

12 comentários:

Luana disse...

Se joga, amore! Eu ja recebi email de gente dizendo que meus posts so podiam ser mentira e outro falando que eu me achava e so falava de como os homens se apaixonam por mim...
Fato eh, vai ter gente que vai ler e achar uma droga... e isso a gente nao tem como controlar!
Eu parto do principio de que tudo que as blogueiras contam eh verdade... se elas estão mentindo? azar o delas! ne?

Luana disse...

ahhh... Mandei email pro meu amigo polonês, pra saber do fim do mundo.. quando ele me responder eu te falo...

Cristina disse...

Eu escrevia um blog chamado Coisas de Patrícia. Comecei a escrever pois minha terapeuta mandou. Mandou eu escrever tudo. Assim foi. Eu falei sobre minha tentativa de suicídio, coisa que me envergonhava muito, mas descobri um monte de gente legal que tb tentou, superou e assim foi.

Até que uma ex de um namorado, cismou comigo e começou a rir de tudo. Tem sempre um que nos inveja, nos persegue e tira proveito de algumas situações.

Virou um inferno. Brigava com ele pois ele não tomava nenhuma providência em relação à pessoa. Até que desistimos. Isso já vai fazer quase dois anos. O coisas de patrícia eu tirei do ar. Mas como não consigo ficar sem escrever, me habituei a por para fora, Criei o Adoráveis Psicoses de Cristina e o Caminhos Internos. Continuo me desabafando, pois eu me fortaleci com o que aconteceu, e me desvincilhei da necessidade da aprovação alheia. Faço pq gosto, e sei que vai servir de exemplo para alguém. Pode acreditar.

Eu super apoio. E não vejo ninguém como coitado. Coitado é filho de rato que nasce pelado no meio do mato.

Vá em frente, estarei acompanhando.

Beijocas

Eliana disse...

Acho que quando a gente escreve exercitamos o nosso poder de análise e raciocínio,tomando consciência de nossas atitudes, despreendidas de sentimentos, sejam quais forem. Ao meu ver amadurecemos e nos fortalecemos e, convenhamos, temos sangue correndo nas veias e, às vezes, tudo que a gente quer mesmo é colocar pra fora, mesmo que seja pra receber algum puxão de orelha, porque eles também ajudam de vez em quando hahaha Bjs e bom fim de semana

Cristiano disse...

Uma vez um professor de semiotica disse uma coisa que eu viajei, mas hoje eu entendo. Que é:

Vc tem uma historia que vc caiu da bicicleta.

Quando vc tras ela para o presente, o vc presente interfere na historia.

Qd vc esta feliz, vc conta a historia e ela nao te afeta tanto. Qd vc esta triste, vc conta a mesma historia e ela te afeta... E por ai vai.

Vc estar disposta a escrever sobre o q aconteceu contigo é a prova que o seu presente esta bem, tao bem que vc nao liga mais em trazer a historia para o presente.

Um bjo!

Gisa disse...

Obrigada pelo apoio moral meninas e Cris... Sabe que gostei da sua teoria? Hà tempos busco uma explicaçao para essa vontade de escrever e ... de todas as teorias exorbitantes em que pensei, essa sua foi a que eu mais gostei hahahaha

Geíza Bolognani disse...

Não sei quanto à vc... mas escrever me liberta. Por vezes me salva de mim mesma. Não sei onde estaria sem meu bloguinho... e, olha para quem achava que escrevia pro nada, me surpreendi positivamente com a qualidade da distinta platéia. Tanto que tem pessoas - como vc - que considero amiga do coração, apesar de só nos conhecermos virtualmente. Tem coisas que não se explica. Se sente e pronto.
Precisa escrever? Vai te fazer bem? Então manda bala e dane-se tudo!!!

Cambaxirra disse...

Eu acho que se você está sentindo essa vontade, tem que escrever. E não tem que se preocupar se vão achar que você se faz de coitadinha, ou coisa do tipo. Essa mania que as pessoas tem de julgar os outros, é disso que a gente tem que se libertar. Não tem que pedir desculpas por nada. não senhora. Nem antes e muito menos depois de escrever. Sabe, eu sempre escrevi, desde pequena. Tinha uma coleção gigante de diários. E sempre achei que escrever faz bem porque parece que a gente põe "o cérebro para fora" (estranho, eu sei) e, de alguma forma, entende ele melhor.
Vai fundo!

Beijão!

Renata disse...

Gisa se joga!!Se tiver alguma coisa presa no coração liberta!!Seja escrevendo ou falando não importa mas bota pra fora tudo o que te incomoda.
Já escrevi muitas coisas que não tive coragem de por no blog por medo de estar me expondo muito mas hoje to nem aí.
Lembra quando vc falou pra eu não me importar em escrever só sobre doença pq o blog era meu? Então to escrevendo tudo o que sinto e isso ta me fazendo um bem danado, quem quiser ler outra coisa que leia a internet ta cheia de opções, não tem como agradar todo mundo.
Vc escreve mto bem menina:) quem acompanha seu blog sabe disso e vai ler com carinho as coisas que vc vier a dividir.
Um bjão e otima semana pra vc!!

Aline Souza disse...

Gisa, escreve com toda a vontade e com o coração! O povo pode achar o que quiser, o que importa é que vc sabe muito bem o que vc está escrevendo e o que isso significa para vc! Tenho certeza que muita gente vai se sentir tocada, que vai se encontrar um pouquinho na sua história, mas infelizmente vão haver tantos outros que vão querer comentar coisas desnecessárias. No fundo, até estes foram tocados pela sua história, e por isso a vontade louca de comentar, mesmo que não tenha nada bom a dizer!! Continuarei por aqui, adoro o que vc escreve e como vc escreve! Bjuss

Neanderthal disse...

Oi Gisa, eu ia comentar aqui a mais tempo, mas tem coisas que eu gosto de refletir com mais calma.
Eu já tive um blog onde postava assuntos pessoais e me rendeu muita dor de cabeça. Eu tinha namorado na época e ele usava pra me vigiar. Sempre tinha brigas e com o tempo eu aprendi que a prudência indicava que o melhor caminho é não abrir muito a vida.
Também aconteceu de alguns "amigos" irem lá fuçar a minha vida e depois ficar especulando em rodinhas de fofoca.
Foi assim que criei o Neanderthal. Assim fico mais a vontade para expor meus sentimentos, mas mesmo assim volta e meia bate a insegurança de alguém ir lá e usar as minhas informações pessoais em fofocas ou me causar problemas. O que me sobrou como recurso foram as metáforas e textos impessoais.
Ainda assim, não estou livre de problemas. Não podemos nos responsabilizar pelo que as pessoas entendem né! Infelizmente...
Boa sorte e acho que você me parece uma pessoa de bom senso e bons sentimentos. Acho que saberá medir a dosagem das coisas e as palavras na hora de expor aqui.
=***

Gisley Scott disse...

Meta a boca no trombone! Esse espaço é seu.Jogue todo esse "lixo emocional" pra fora e lembre-se, vc poderá se tornar inspiração para muitas pessoas e elas usarão o seu testemunho para superar obstáculos tb. E se alguém não gostar? Bom, os que não gostarem, façam-se no direito de irem no topo da página, do lado direito e apertem o X. Simples assim :)!

Bjs

By Gisa