terça-feira, 17 de setembro de 2013

"Handicap" e a infinita imbecilidade dos italianos

Tem uma coisa na cultura italiana que me incomoda muito.

Ontem eu fui ao Hospital, eu jà vou contar como foi, mas aconteceu uma coisa que me fez lembrar algo da cultura italiana sobre a qual hà muito tempo eu queria falar.


Estou na Italia hà cinco anos, e durante todo esse tempo eu sò vi UMA pessoa portadora de necessidades especiais (aqui na ITalia chamado "Handicap") na rua. Na verdade nao era na rua, era em uma festa.

Era a inauguraçao de uma "sala de eventos" e eu fui a responsavel pela decoraçao. Como è uma casa de eventos, e como trabalho com decoraçao, o dono me convidou para a festa e eu fui.

Mais ou menos no meio da festa eu vi um rapaz em uma cadeira de rodas, ele estava meio perdido e sozinho,  somente olhando as pessoas em volta. Olhei em volta e vi que todo mundo estava conversando, a maioria em grupinhos fechados (inclusive eu) e ele era o unico que nao conversava com ninguem.

Fui atè ele, me apresentei, começamos a conversar, e de repente todo mundo começou a olhar pra gente. Alguns olhavam com surpresa, outros com desprezo, outros com curiosidade... mas o que mais me irritou foi justamente isso: o modo como os italianos olhavam pra ele.

No Brasil as pessoas sao mais discretas... mas aqui na Italia os olhares das pessoas podem ser cruel. Quem està na Italia sabe que os italianos nao conhecem discriçao e tem a horrivel mania de fixar e medir as pessoas como se isso fosse algo inteiramente normal. Naquele dia descobri que se uma pessoa tem alguma necessidade especial e està no meio deles, a "cara de pau" dos italianos aumenta mais.

Enquanto conversavamos teve uma senhora que passou pela gente, deu uma paradinha na frente dele, depois olhou pra mim, deu um sorrisinho sem graça e depois, olhando pra ele, deu um suspiro e saiu.

Eu sei que pode parecer algo insignificante, mas como durante a vida eu tive dois namorados portadores de "handicap", eu sei o quanto esse tipo de atitude pode ser irritante! Eh uma atitude lamentavel!

Depois de um tempo minha amiga brasileira veio falar com a gente tambem, depois veio uma sua amiga italiana, depois uma amiga da amiga, e pouco tempo depois estavamos rodeados de pessoas repletas de pena e suspirantes. Entao ele pegou alguns dos seus panfletos e começou a distribuir: era a publicidade de um curso no qual ele era o professor e seria feito naquele local.

Entao aconteceu o maior absurdo: um rapaz pegou o folheto, leu o titulo "Curso de meditaçao", deu uma risada, olhou pra ele e murmurou pra si mesmo: "Ahh, ho capito" (ah, entendi). Como quem pensa "o que mais uma pessoa em uma cadeira de rodas poderia ser bom alèm de meditar"?

E depois voltou aquela senhora que tinha suspirado, e antes mesmo de terminar de ler a frase no panfleto, soltou a perola:
"Curso? Mas voce è professor??"
Entao olhou incredula para ele, depois se virou pra mim e me perguntou:
"Davvero?"


Talvez ela tenha achado que por ter perdido a sensibilidade das pernas, ele tenha perdido  tambèm toda a sua capacidade intelectual.

Que raiva eu tenho de pessoas ignorantes assim!

Depois disso eu entendi porque os cadeirantes e portadores de necessidades especiais se escondem: porque os italianos sao  imbecis!


Eu lembrei disso porque ontem, enquanto eu esperava pela consulta,  tinha uma moça em uma cadeira de rodas, ela estava com o marido ou namorado, bem em frente ao elevador. Todos que sairam do elevador olharam fixamente para ela, entao olharam para o namorado, e entao eles fizeram expressao de pena, surpresa ou desprezo. 

No Brasil, quando eu estava com meu namorado cadeirante, as pessoas ao menos tentavam fingir naturalidade e os olhares quase sempre eram sutis.

Aqui na Italia nao! Aqui as pessoas quebravam o pescoço para fixa-los, continuavam a olhar para tràs e - eu juro - que observando como algumas moças olhavam pra ela, eu esperava o momento em que alguem iria chegar ao namorado e perguntar: "O que voce està fazendo com ela? Voce merece coisa melhor!"

Um comportamento absurdo!

A unica vez que eu vi pessoas com necessidades especiais participarem de talk show na TV daqui foi em um programa chamado "Vincitore" (vencendor). Nao tenho certeza se o nome era exatamente esse, mas era algo assim. No programa era contado a historia dos participantes: pessoas que haviam superado um "handicap" e seguido em frente com a vida, superando as limitaçoes impostas pelo handicap e pela sociedade.

A ideia era muito boa, mas o programa era deprimente porque o apresentador - embora apresentasse os participantes com handicap como vencedores - tratava eles como pobre coitados. Tinha o tom de voz normal ao falar ao publico, mas depois se virava ao participante, virava a cabeça de lado, fazia cara de compaixao, impostava o tom de voz de modo forçado para que parecesse muito cuidadoso ao falar e sò entao fazia as perguntas.

Ele dizia que eram vencedores, mas tratava eles como coitadinhos.

Enfim, os italianos sao despreziveis.

 O que mais me entristece è que a ITalia (ao menos aqui no Norte) tem uma infraestrutura admiravel, mas peca pela atitude das pessoas. Todas as faixas de pedestres possuem rampas (nao aquelas "rampas" alla brasiliana, toda torta, quase sempre quebrada e alta demais), sao rampas perfeitas, feitas com muito critèrio. Quase todos os negocios tem acesso especial, todos os shoppings e hipermercados tem estacionamento especial, se nas estaçoes de trem nao tem rampas, tem elevadores, enfim, è toda a infraestrutura que os cadeirantes do Brasil lutam para ter e quase sempre nao conseguem. Eles tem todo o acesso... mas a atitude dos italianos em relaçao à eles è vergonhosa.

Aqui na Italia prepararam toda a infraestrutura, 
mas se esqueceram de preparar o principal: os italianos. 
Lamentavel, realmente lamentavel.

.....................

Quanto à minha consulta, desta vez fui atendida por uma medica que nunca tinha visto antes. Enfim encontrei alguem que ENTENDEU que eu preciso de tratamento! Me receitou um antibiotico, uma pomada pra passar no buraco, um integrador alimentar que deve ajudar na "ricrescita" da pele, um remedio pra diminiur os hematomas em volta do buraco, me mandou tomar anti-inflamatorio sempre que estiver com dor e me mandou voltar sexta feira, com horario fixo, para ser atendida por ELA - e nao por outro medico.

Criatura sò precisou fazer confusao na recepçao, depois que estavamos ali hà quase duas horas e eu começava a ter caimbras.

Com a medica nao precisamos fazer confusao, porque assim que eu entrei e ela me viu mancar, perguntou espantada: "Come mai hai ancora male dopo due settimana dall' invervento??" (porque voce ainda sente dor duas semanas depois da cirurgia?)

E quando o Henry perguntou se era normal, ela respondeu que NAO. 
:-)  
Deus seja louvado - alguem entendeu minha situaçao! 
Obrigada a todos pelas oraçoes!


7 comentários:

Cristiano disse...

Este final de semana estava dormindo e fui acordado pela minha esposa que não tava conseguindo dormir pq tava uma algazarra no corredor.

Botei uma camiseta e fui de pijama para o corredor Puto. E la estava a minha vizinha (ñ é cadeirante) com um amigo que não era cadeirante e uma amiga dela cadeirante.

Tratei os três com a mesma raiva!

Eliana disse...

Ohhh Gisa, que bom que deu tudo certo no médico hj...viu...era isso q deveria ter acontecido antes. Agora vc vai melhorar, vc vai ver. Faça repouso ainda até que fique boa de vez. Fizeram curativo lá?Bjs

Gisa disse...

Cris, nao tinha porque ser diferente!

Eliana, sim, deviam ter feito isso antes, se tivessem feito provavelmente eu nao teria chegado a este estado deploravel!

Nao fizeram curativos, tiraram pele morta, restos de pontos que tinham aberto, enfim, fizeram uma "limpeza".

Hoje me sinto melhor, sinto menos dor e vejo que o inchaço em volta do buraco diminuiu. :)

Nao è muito, mas ver uma melhora depois de de me ver acordar cada dia pior è algo magnifico :D

Cambaxirra disse...

Gisa, querida, eu fiquei apavorada com tudo o que você contou! Ainda bem que você achou essa médica, graças a deus! E que você já está vendo melhoras, que bom, fico feliz e mais tranquila!
Se cuida!

Beijo grandão!

Ana disse...

Gisa, encontrei o seu blog por meio de outro e fiquei sensibilizada com as suas histórias... Adoro o seu jeito de escrever!

Me chocou essa atitude dos italianos. Estou indo para a França e espero que lá não seja assim! Espero que tudo corra bem na sua recuperação. Boa sorte com tudo!

Dan disse...

Gisa, que bom que encontrou finalmente uma médica de verdade, espero que agora dê tudo certo. ;D

Sobre isso dos italianos que você contou. Que tenso! Conheci um guri que ficou deficiente após levar um tiro na coluna e ele disse que sempre rola uns olhares mesmo, mas o jeito que você contou que os italianos fazem é meio assustador :/

Fulana disse...

ai estou muito feliz por vc ter encontrado uma médica que parece ser normal! e indignada com as histórias dos cadeirantes! embora, reconheça, que como vc mesma diz, aqui no brazil o que a gente faz é 'tentar' agir com naturalidade...mas sou da opinião que, se vc não é ok com aquilo, finja ser, ao menos não atrapalha tanto a vida do outro! beijos e boas melhoras!

By Gisa