sábado, 18 de abril de 2009

Blogagem Coletiva - Quem foi seu Monteiro Lobato?

"Emagrecido."

Esta foi a primeira palavra que meu irmão mais velho, meu Monteiro Lobato, leu para mim. Era um trecho do livro 'Maldição do Cigano', de Stephen King, autor que meu irmão adorava.

Eu tinha 9 anos. O livro era um suspense, mas lembro-me claramente que o trecho que ele leu me deixou fascinada. A partir deste dia, todas as noites eu andava até o seu quarto e pedia para que ele me contasse como andava a história. Era um novo mundo para mim, um mundo cheio de palavras que eu não conhecia e pleno de criatividade.

Depois de algum tempo, essa atitude nossa se tornou quase um rito: todas as noites, antes de dormir, ele me chamava e lia os trechos mais importantes do livro para mim. Deste e de tantos outros livros que ele lia. (Meu irmão é um 'devorador' de livros...)

Um dia ele me deu a idéia de ir à Biblioteca Municipal emprestar um livro. Eu fui e voltei com dois livros infantis, cheios de figuras, mas que não tinham mais que 3 linhas em cada página. Eu estava empolgadíssima, mas ele ficou transtornado:

"- Com tantos livros decentes para sua idade, porque você pegou esses, que são livros de se ler para bebês?"

(Risos)

Ele tinha razão. Eu li os dois livros em 10 minutos e depois não tinha mais nada para ler. Então fui até o seu quarto e pedi que ele me desse um livro. "Carrie" foi o nome que mais me chamou atenção, em meio à tantos títulos e livros enormes. Assim, Carrie foi o primeiro livro que eu li. É uma literatura estranha para uma criança de 9 anos, mas não era a história do livro em si que me fascinava, e sim todo o mundo de prazer e criatividade que a literatura me proporcionava.

Depois de ler Carrie, fui à Biblioteca e emprestei "A ilha do Tesouro". Depois li mais alguns livros de Stephen King... Mas o gênero 'suspense' de Stephen King logo deu lugar à outros gêneros, que me agradavam mais: Julio Verne, Charles Dickens, Agatha Christie, Robin Cook...

Anos depois, conheci autores brasileiros maravilhosos: Luís Fernando Veríssimo, Jorge Amado (sobretudo seus livros 'políticos'); e através do meu irmão também descobri uma paixão: A História das Guerras, sobretudo da Segunda Guerra. Isso porque um dia ele chegou em casa com um livro que contava a história de Hitler, que eu nem imaginava quem fosse. Quando ele me contou um pouco do livro, eu fiquei curiosíssima. Depois que ele terminou de ler, eu o li. "Como alguém pode fazer isso com um outro ser humano?"... Essa é a pergunta para a qual procuro resposta até hoje (21 anos depois). Ao longo desses 21 anos, livros sobre a Segunda Guerra foram meus preferidos.

Assim, meu irmão não só me impulsionou a ler, como também foi responsável por meu gênero preferido (livros históricos). E aquele livro sobre Hitler foi muito importante em minha vida. Primeiro, porque me fez ter uma consciência humana muito avançada, desde criança. Todo adulto seria uma pessoa melhor se lesse aquele livro, é o que eu penso. Saber do Holocausto e do sofrimento que um ser humano causou a milhões de pessoas me fez uma pessoa melhor, menos egoísta e mais grata por coisas que para mim eram muito simples - como comida, brinquedos e liberdade.

E também aquele livro despertou em mim uma paixão que mantenho até hoje, e que foi responsável pela escolha do meu curso na universidade: a paixão pela pesquisa e informação. Comecei a pesquisar sobre Hitler, o que me levou ao nazismo, que me levou à Segunda Guerra, que me levou à Primeira... e assim por diante.

"Ciência da Informação" - é meu campo de estudo. Assim, posso dizer que meu irmão foi mais que meu Monteiro Lobato... ele ajudou, através da leitura, a formar o meu caráter. E isso é o maior presente que um ser humano pode dar a outro.

Por isso, Binho, a você eu dedico esse texto, com todo o meu
carinho e com toda a minha saudade. Chocolates roubados à parte, fuçar no seu armário sempre me trouxe grandes descobertas literárias! (ihihih)


PS: "Chocolates roubados" se refere ao fato de que, sempre que abria seu armário atrás de algo para ler, acabava encontrando chocolate para comer. E comia tudo, sempre!

18 comentários:

Palavras de Osho disse...

Maravilhoso texto!

Compulsão Diária disse...

Grande Binho!
Delíca de mistura livros, chocolates guardados escondidos e descobertos e depois devidamente devorados e, não tão delicioso, mas a oportunidade de descobrir cedo de que o mundo não é um paraíso. com 12 anos saber, sacar o absurdo de hitler te deu cancha!

digitaqueeuteleio disse...

"Com tantos livros decentes para sua idade, porque você pegou esses, que são livros de se ler para bebês?"Por um acaso estava aprendendo leitura dinâmica? rsss

Estou curtindo Júlio Verne só depois de adulto, mesmo assim eu tô nem aí...rss

Muito legal o teu texto, parabéns! E que bom que está participando da blogagem, é muito enriquecedor pra nós.

Bj
Marcelo.

Mari Amorim disse...

parabéns! A parte mais gostosa das blogagens coletivas talvez seja isto: a interação e a abertura do coração para lembrar, deixar fluir...é bom demais!
beijos
Mari

chris mazzola disse...

Ok, você venceu. Pringles!
Meu Monteiro Lobato tá lá.
Ou alguns deles.

Juizo!

Pai dos trigemeos disse...

Belissimo! Belissimo! Brava! Brava!
Octavio

luzdeluma disse...

Olha que irmão legal você tem!! Danada, ainda comia os chocolates. Essa função do seu irmão, na minha casa, era a minha irmã que cumpria, mas ela não tinha muita paciência e nem chocolates. Danada e sortuda você!! Beijus

fio-de-ariadne disse...

Gisa, demorei mas cheguei. A organização das listagens tomaram tempo e só agora consigo terminar a leitura. Muito obrigada por participar da coletiva com sua história !

abraço

Vanessa disse...

Oi, já está no Fio a lista com os textos selecionados para a votação que premiará três blogueiros com um livro da Zahar. Conto com você para ajudar nesta tarefa. O link é http://tinyurl.com/dnlozq


Abraço

Linda_Rê disse...

Adorei o texto para seu irmão...
Bacana a relação d vcs na infância.

Beijos

Dona Maria disse...

Awn, que emocionante. *-*
O meu "Binho" foi Bridget Jones, aos 12 anos eu senti uma puta vontade de ler o seu diário, mas todo mundo dizia que não era apropriado pra mim e blábláblá. E dane-se, eu li e gostei. Era muito diferente de tudo que eu já tinha lido (por obrigação, diga-se de passagem) e era interessantíssimo. Daí eu não parei mais, peguei o gosto pela leitura. :)

Má... disse...

Oi, Gisa!


Lindo o seu texto. Eu lamentei profundamente ter aparecido muito tardiamente para a postagem coletiva sobre Lobato. Mesmo assim, senti na obrigação de postar algo, como uma espécie de dívida com aquele que me introduziu no mundo da leitura.

Bem, passei aqui para te convidar a aderir ao selo da amizade. As instruções estão no meu blog.

bjs e bom domingo

Má.

Dayany disse...

muito legal a relação de vocês... eu não tive isso com a minha irmã com essa idade, estou começando a ter agora, com 19 anos e ela 18. mas se ela pega meus chocolates...... nem comento. HaHaHa...

beijos.

"Os livros são amigos frios e seguros." - Victor Hugo

Mar e Ana disse...

\o/
Que lindo!
Adoro Lobato, Stephen King e Jorge Amado e e e e adoro ler!!!!
Não é a toa q eu cai na idiotice de fazer Letras (eu devia ter procurado uma de bacharel, não de licenciatura pq eu odeio dar aulas)...
E concordo com você que alguns livros, como os q falam do Holocausto, fariam as pessoas serem bem melhores do que são!

:***

Marcus Vinícius da Silva disse...

Chocolate engorda! Livros deixam a pessoa culta! Muito melhor...

Eu cada vez mais viro um devorador de livros também. É um prazer indescritível escapar da realidade e conhecer pessoas e lugares, que sequer existem!

Não tenho gênero favorito, eu sou mais é de virar fã de um ou outro autor.

Beijão!

Renata disse...

Sei bem como é esse prazer pelas letrinhas, sou uma devoradora de livros e amante de sebos!
Bjocasss

Natiih disse...

Pois também sou devoradora de livros e amo histórias sobre Hitler. Ainda não li nada de Stephen King, mas parece ser bom, todos dizem. Estou influenciando meu irmão a ler, também. E me lembro que o primeiro livro que li foi Peter Pan, mas era pequenino também, o primeiro livro decente eu não me lembro. Beijos :*

Nathália disse...

Que sortuda você é!
Eu com um irmão desses seria uma pessoa melhor hoje. Hahaha. Sério.

Beijo!

Ps.: Se lembra dos mendigos?
Então, eu tava sentada na praça com uma amiga e um deles chegou pra gente e disse:
- Com licença. Somos moradores de rua, não roubamos e nem fazemos mal à ninguém, só a nós mesmos. Você pode nos dar um dinheiro pra comprar umas bebidas e uns cigarros?

Achei a sinceridade dele tão legal que começamos a conversar. E acabamos jogando dominó.

O que veio falar comigo primeiro disse que era formado em administração, mas que se perdeu na vida por causa da cachaça. :/
Por isso sabia tanto sobre Sócrates.
Incrível, né?

By Gisa