sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Segredos vergonhosos

Bom, gente... apòs meses de arquivamento decidi enfim publicar um post inspirado em um post de um dos blogs que mais gosto: o blog do Chris Mazzola (sem comentarios, pra ele nao ficar bravo... mas... nao parece nome de mafioso?...)

Bom, espero que ele nao se importe com a brincadeira... e com o "plagio"...
(Ainda bem que aqui na Italia plagio nao è crime!!)

Agora sim... eis o meu
TOP 10 Segredos vergonhosos e obscuros!

01) Dei meu primeiro beijo na boca aos 8 anos de idade! Como nao sabia beijar, mordi a boca do menino e o filho da mae começou a gritar: "Aaaaai! Ela me mordeu, ela me mordeu!!" Como era na escola e como tinha platèia, fiquei conhecida como "a menina que morde". Nao sei se o mais vergonhoso foi o apelido ou o fato de ter 8 anos e jà querer beijar na boca!!


02) Aos 5 ou 6 anos, nao lembro bem, eu estava brincando em casa com meu primo e meu pai chegou com duas bexigas pra nòs. Eram bexigas com o simbolo do Corinthians (que pra mim nao queria dizer nada, eu sò queria a bexiga) e eram enormes. Depois de brincar uns 5 minutos, meu priminho retardado passou com ela perto de um pè de mexerica e a bicha estourou. Ele começou a chorar desesperado "A minha bexigaaaaaaaa buaaaa nao tenho mais bexigaaaaa" e eu, com dò e me sentindo super autruista, dei minha bexiga pra ele. Ele começou a sorrir segurando a minha bexiga e ver isso me deu um desespero total! Abri o bocao: "Agora nao tenho mais bexigaaaaaaa buaaaaa minha bexigaaaaaaa". Meu pai foi comprar mais e eu aprendi uma liçao fundamental nesse dia: Nunca dar a ninguem o que eu posso querer de volta! HAHAHA. Brincadeira, me envergonho muito dessa historia.




03) Quando eu tinha onze anos meu irmao "do meio" tinha 14 e era cheio de amiguinhos bonitinhos. Quando eles estavam em casa, eu sempre queria estar no meio deles. Um dia, quando meu pai, meu irmao e seus amigos bonitinhos decidiram cortar uma bananeira que tinha no fundo de casa, eu fiquei no meio deles com a desculpa de que "estava conversando com meu pai". Obviamente eu nao escutava nada do que meu pai falava e sò queria me aparecer para os meninos mais velhos. Quando eles enfim conseguiram cortar um tronco da bananeira, eu resolvi sair de perto. Meu pai deu um berro: "Cuidado que o tronco tà caindooooo!!". Tarde demais. Enquanto eu corria, o tronco caiu bem na minha cabeça, quicou e bateu nela de novo, quando eu jà tinha caìdo de bunda no chao! Eu bem que tentei manter uma certa dignidade, levantando sem chorar, mas quando todos os meninos começaram a rir, eu saì correndo e gritando! Foi uma das cenas mais vergonhosas da minha vida!! Os meninos, que hoje sao homens e casados, ainda nao esqueceram o fato e sempre que me veem relembram: "Lembra daquela vez que a bananeira caiu na sua cabeça que nem nos desenhos do pica-pau? HAHAHA". Eh, insuportàvel, eu lembro.


04) Por 11 anos consecutivos eu roubei os chocolates do meu irmao mais velho!! Mas em minha defesa devo dizer que ele era super cruel gente, fala sèrio. Ele comprava caixas e caixas de chocolates, me dava um (um sò, unzinho sò!!) depois as guardava no armario e... esquecia! Eu dava uma passadinha por là, pensava "Sò um nao vai fazer diferença" e o roubava. O problema è que eu fazia isso todos os dias e quando ele enfim se lembrava dos chocolates, semanas depois, nao tinha mais nada! hehehe vergonhoso, Ronize, vergonhoso!!


05) Quando eu tinha 8 anos eu gostava de um menino. Ele era super bonitinho,  mas tinha um caràter todo particular. 'As vezes ele me dava bola, às vezes me ignorava, às vezes me humilhava. Um dia ele chegou no portao de casa com uma caixa de presente. Obviamente a louca aqui pensou que era pra ela. Quando eu peguei o presente na mao e disse obrigada, o guri abriu a boca e falou: "Eu gosto da Carla, quero dar esse presente pra ela, voce pode entregar?" Ai que vontade de macetar! Sò respondi: "Claro". Obviamente o presente nunca chegou nas maos da Carla (que era minha prima). Como eu nao podia usar (era um bracelete) joguei fora. No meio dos restos de comida. Minutos antes do lixeiro passar, pra nao ter perigo de alguem encontrar. Vergonhoso!


06) Quando eu tinha 8 anos, moràvamos ao lado de uma senhora que se chamava "Piedade dos Anjos e dos Santos". Por motivos òbvios ninguem a chamava pelo nome, todo mundo a chamava de "Pia". Um belo dia, eu estou no meu quarto montando pela milèsima vez meu quebra-cabeças quando minha mae dà um berro do quintal: "Giiiiisa, pega o bule pra mim!" "Onde tà mae?" "Na pia!" Ok, o final voces jà podem imaginar, nè? Fui parar na porta da senhora Pia dizendo: "Vim buscar o bule da minha mae!" "Mas nao tem nenhum bule da sua mae aqui!" "Tem sim!" "Ela tà enganada, nao tem nao!" "Entao a senhora pode emprestar um bule pra ela?" E quando eu estva chegando em casa com o bule, minha mae estava sentada no banco da garagem, com o seu bule na mao, sem ar de tanto rir. O vergonhoso foi sentir ela contar a història, na minha fente, pra todas as amigas durante uns seis meses! :)


07) A Pia tinha uma mangueira (pè de manga) em casa. Sò que a senhora Pia nao gostava de mangas, entao quando era tempo de manga as bichinhas maduravam, apodreciam e caìam do pè. A Pia sempre dizia a minha mae: "Marli vem pegar manga!" Mas por um desses insondàveis mistèrios da natureza, minha mae nunca ia e nem me deixava ir. Cada vez que eu queria manga, ela ia no mercado comprar. Mas eu nao queria "manga" eu queria aquelas mangas. Entao um dia, enquanto brincava sozinha no quintal olhando as mangas, resolvi pular a cerca e ir roubar uma. Olhei dos lados, ninguem. Pulei a cerca, olhei pra casa da Pia, ninguem. Desviando das folhas, abaixada e andando devagar, consegui chegar atè o pè de manga. E entao uma voz saiu là de cima: "Voce veio pegar manga?" Ai meu Deus! Era o Rege, filho da Pia, que estava em cima da àrvore! "Nao, eu vim buscar minha bola". Eu fazia de conta que procurava alguma coisa mas nao tinha nada pra achar. O Rege ainda tentou me fazer confessar: "Pode falar que voce veio pegar manga, ninguem vai ficar bravo". "Mas eu vim buscar a minha bola!" "Sobe aqui que eu vou te ajudar a pegar umas mangas!" E foi assim que eu passei por ladra, mentirosa e ainda apanhei quando cheguei em casa com um balde de mangas da Pia! Mas comi as mangas.


08) Quando eu tinha 12 anos tìnhamos uma vizinha que sempre pedia para que eu dormisse na casa dela, quando seu marido ia acampar. Ela dizia ter medo de dormir na casa sozinha e eu sempre me perguntei "E o que uma criança pode fazer pela senhora se entrar um ladrao??" Mas, enfim, eu adorava dormir fora de casa e entao ia sempre.
Eis que uma manha eu acordei encharcada de "suor" e, confusa, fui pra casa correndo. Mal cheguei na porta e meu pai resmungou: "Que cheiro è esse de xixi?" Pronto, entenderam, nè? Nao bastava eu ter 12 anos e inexplicavelmente uma noite fazer xixi na cama, o ocorrido tinha que acontecer bem no dia que eu fiu dormir na casa dos outros! Vergonha TOTAL!!


09) Dormindo na casa da mesma senhora, meses depois, no meio da noite ela me acorda:
"Gisa, Gisa, acòrda!"
"Hein?"
"Come chocolate, tò"
Abri os olhos e tinha um ovao n° 23 bem ali na minha frente. Me belisquei, sò podia ser alucinaçao! O mais perto que eu tinha chegado de um ovo n° 23 na vida era na televisao, venho os comerciais.
"Mas por que?" (minha mente nao conseguia entender porque alguem me daria um ovao de pascoa, semanas apòs a pascoa, e no meio da madrugada)
"Voce deve ter visto o ovo quando entrou e ficou com vontade"
"Naaao, senhora, nao fiquei nao. Na verdade eu nem me lembro de ter visto esse ovo aì" (juro que era verdade)
"Voce viu sim!" - e jà foi abrindo o ovo - "voce tava pedindo chocolate atè agora pouco!"
Que vexame! Foi nessa noite que eu descobri que falo dormindo!


10) Pra mim esse è o mais vergonhoso de todos.
Quando eu tinha 7 anos briguei com minha mae e fugi de casa. Passei o dia todo escondida dentro do bueiro da esquina, escutando todo mundo me procurar.  E nao foi sò isso: Como no bueiro tinha um tunel, eu segui-o-o. Fui sair no bueiro do trevo que tem a uns 200 metros de onde eu morava. Sò voltei pra casa quando um rato passou em cima do meu pè. Foi a ùnica vez na vida que meu pai me deu uma surra de cinto!


Eh isso aì. Essa criatura bizarra sou eu!

2 comentários:

Cristiano disse...

Imaginei um a cidade do interior... rs
Tenho um episodio para confessar:
Quando tinha sei lá 9 anos o pedreiro pediu eu para procurar uma escada para rodapé (aquele faixa que fica entre o piso e a parede)... fui em todos os vizinhos pedir uma emprestada para ele continuar o trabalho. Todos riam e falava que não tinha, só a dona edina que disse que eu tava louco que isso não existia! Hehehe
Outro de um primo:
Nós estávamos jogando bola no terreiro e o primo dele falou:
- Yuri! Vai para casa que o coração da sua mãe esta batendo! (com cara de desespero!)
O Yuri saiu correndo e atravessa o bairro (40 minutos), chegando lá ele quase chorando:
- Mae seu coração esta batendo?
Só depois que ele falou percebeu a situação ridícula e todo mundo rindo! uahuahua

chris mazzola disse...

Com toda certeza seu 8o ano foi bem marcante, pra nao dizer problematico. hahaha
É claro que a vergonha maior, constrangimento vc sabe, e inclusive afirma ser a ultima, mas olha... a da bananeira deve ter sido épica.
O bacana dessas lembranças é que passa um tempinho elencando as 10, vamos lembrando depois de mais uma, duas, tres... por fim, lembra de varias roubadas!.. a gente sente nostalgia de uma epoca alegre, com problemas banais.. e situacoes vergonhosas que hoje no traz sorrisos e saudades.

By Gisa